segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Um homem morre esmagado por uma multidao de consumidores

29-11-08. Nos Estados Unidos, a "Black Friday", o dia depois do Thanksgiving, marca tradicionalmente o início das compras de Natal com saldos importantes a acontecerem nas lojas que abrem as suas portas de manhã cedinho. Sexta 28 de Novembro, esta tradição tomou uma direcção trágica na Wal-Mart de Long Island, no Estato de New York. Um empregado que vinha de abrir as portas para deixar entrar a multidão impaciente foi esmagado pelos clientes que se dirigiam aos produtos expostos. O homem, de 34 anos, morreu dos ferimentos. Pelo menos 4 pessoas ficaram feridas, inclusive uma mulher grávida, e foram hospitalizadas depois do incidente. Outros empregados da loja ficaram feridos enquanto tentavam ajudar o seu colega.
Kimberly Cribbs, que fazia parte das cerca de 2000 pessoas plantadas em frente do Wal Mart, afirma que os clientes se comportaram “como selvagens”. “Quando disseram às pessoas de sair porque um empregado tinham morrido, começaram a gritar: já há um dia que fazemos fila para entrar. E continuaram a fazer as suas compras”, disse à Associated Press. Como nos relembra a New York Times, tais cenas de histeria “tornaram-se normais durante o período chamado Black Friday”. “Foi uma tragédia, mas ao mesmo tempo sente-se que não foi um acidente”, denota o diário nova-iorquino, relembrando que nos Estados Unidos, comprar é “um desporto de contacto” e que as lojas sempre foram boas na arte “de criar um sentimento de falta quando estamos em plena abundância, uma ansiedade que nos obriga a agir imediatamente para não ficarmos à margem”.

4 comentários:

Pedro, o doomer disse...

Olá

Parabens pelo excelente blog, não conhecia, vi esta semana no expresso..
Sou recem licenciado em eng.mecanica, ligado ao ramo das energias renováveis, e por isso mesmo, por saber o que sei, receio que o decrescimento seja a unica forma de "vida" no futuro.. só tem o defeito de já haver população a mais, uma sobrepopulação que vai ser dificil de manter nos proximos 10-20anos...

Sou semi-decrescionista e finalmente (por sorte encontro pessoas que pensam +- como eu). Porreiro! (digo semi porque continuo a exercer engenharia.. de resto faço agricultura de sustentação, não há tv, não nada etc... e sabe muito bem, a sensação de liberdade e´ muito boa) ;) espero um dia ter coragem para me libertar completamente

Cumprimentos
Pedro

odecrescimento disse...

Boa, Pedro!
Vai fazendo o que esta dentro do teu possivel, nao precisamos de mudar tudo de um dia para o outro. Eu tambem gostaria de fazer mais do que faco, mas nao posso neste momento.
Conta comigo para o que precisares,
Ana

Anônimo disse...

Olá Pedro, Olá Ana!
Também eu tomei conhecimento deste movimento através do Expresso. Pela parte que me toca informo que já não tenho conta bancária há 4 anos. Não pago impostos e nunca, mas nunca fui tão livre como agora. Não chega a agricultura e a ecologia e não sei que mais. Só quando nos livramos dos bancos e impostos é que nos podemos considerar LIVRES!
Teresa

odecrescimento disse...

Sim, claro, Teresa. Não ha so uma ou duas coisas a fazer. E a principal fonte dos "nossos"problemas é o capitalismo e no meu ponto de vista tudo o que se faça no sentido contrario é excelente!
Ana